quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

- Sobre Sentimentos -



Sentimento, principalmente quando é bom, nos deixa com vontade de anunciar aos quatro cantos o seu tamanho, sua beleza, importância, etc, etc, etc... Vai dizer que nunca esteve tomado por um sentimento tão forte que saiu anunciando por aí? Acontece com todo mundo, todos os dias.

Falar sobre os nossos sentimentos pode ser uma alegria, uma emoção e quando o sentimento não é dos melhores, pode ser inclusive um conforto, um alívio e mais um monte de sensações, mas também pode ser perigoso. Ninguém, nem mesmo o nosso melhor amigo,  compreenderá exatamente o que se passa no nosso coração, pois o que sentimos é individualidade nossa. Falar muito abertamente sobre, é um risco de frustração que corremos, pois o outro - por mais que se esforce - não saberá como é, nem o tamanho, nem o porquê.

Óbvio que compartilhar é importante e muito válido e eu o faço sempre, mas uma coisa é certa: os meus sentimentos me pertencem e não há necessidade de gritar aos quatro ventos, simplesmente porque quando é verdadeiro, ele é NOTADO, sem precisar que uma palavra sequer seja anunciada. É aquela história de viver mais e falar menos, que aliás, tem dado super certo comigo. ;)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Pronto, falei!


Um salve à quem quer ser feliz em 2012! Óbvio que todos queremos e se soubéssemos o quanto somos responsáveis pelo o que chega e o que não chega até nós, talvez tudo fosse mais tranquilo. Muitas coisa nos afastam da felicidade, aliás, sejamos mais claros: muitas atitudes nos afastam da felicidade. Cada um sabe onde pisa na bola, mas não basta saber, é preciso querer mudar. Por falar em pisar na bola, existe algo que ultimamente vem chamando a minha atenção e considero até mais do que pisada na bolada, é mancada das feias e diria até que das mais cometidas.

Eu me stresso em esperar, me stresso em ter alguém devagar na minha frente, mas me stresso muuuuuuuuito mesmo quando alguém tenta me "enfiar goela abaixo" opinião política e religião. Ai ai ai, que coisa chata! Mancada! A quantidade de pessoas que perdem tempo a fim de nos obrigar ou nos impor um ponto de vista ou até mesmo um deus, é enorme. Espero não ser mal interpretada, pois não estou a julgar nenhum deus ou nenhum político, estou simplesmente a expressar a minha indignação e falta de paciência com quem faz isso. Gostaria que as pessoas entendessem que compartilhar é bem diferente de obrigar alguém a pensar ou sentir igual. E eu diria que se tocar é uma ótima maneira de começar 2012 e atrair coisas boas, ao invés de uma fama de chato (a)! Pronto, falei! rs.