terça-feira, 25 de outubro de 2011

1 ano de blog!




Em outubro do ano passado, achei um blog que fiz quando tinha 17 anos e havia esquecido de desativar. Me diverti com o que estava escrito, vi que havia evoluído, crescido e a realidade era completamente diferente. Nesse mesmo dia, decidi fazer um novo blog e assim comecei me apresentando aqui no dia 10 de Outubro de 2010.

1 ano se passou e relendo algumas postagens, eu novamente percebo que houve evolução, mudança, crescimento, desafios, vitórias, tristezas e graças a Deus, não faltou humor e fé! Hoje quero dizer que compartilhar dos meus pensamentos e - na maioria das vezes - dos meus sentimentos exatamente como eles estão no momento em que escrevo, é maravilhoso! Ainda há muito o que aprender, mas uma lição muito importante eu já aprendi: não ter vergonha de ser quem sou, ao contrário. Não ter vergonha de amar, errar, perder e tantas outras situações que nos acontecem. Compartilhar. Oportunidade que todos têm e poucos usam.

E que venha mais um ano de muitas emoções e experiências compartilhadas!

Deixo um beijo aos que sempre visitam o blog, aos que comentam tão gentilmente, aos queridos que sempre me incentivam a escrever e aos amores que me inspiram. 



quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Riscos



A palavra RISCO, geralmente soa mal para mim. Deve ser porque nunca me falam que corro o risco de que algo muito bom aconteça. O risco é sempre de me decepcionar, me machucar, me arrepender... Não lembro de alguém que tenha chamado a minha atenção para o risco de me surpreender positivamente, me encantar, ser feliz... Mas mesmo assim, risco de coisas maravilhosas acontecerem existem! Nós o deixamos passar toda hora e sequer percebemos.

As pessoas têm uma tendência para o drama, para os horrores deste mundo. Esquecemos de enxergar as boas possiblidades que surgem toda hora. Há o risco de ser feliz! E o corremos todos os dias!

Vamos então combinar de deixar o drama e esse peso de sempre esperar pelo pior das pessoas, da vida... É tempo de se permitir viver em constante risco de alcançar um sorriso, uma surpresa boa, uma bênção. Só não vale esquecer de fazer por onde, certo?