terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Meta: Sabedoria.

Eu cresci ouvindo que era uma menina inteligente, com facilidade para aprender coisas novas e com notas boas na escola. Ah, mas isso é fácil! Basta dedicar-se e querer de verdade aprender. Difícil mesmo é tirar boas notas nas tantas provas que a vida nos "obriga" a fazer.

Descobri que ter uma sensatez inteligente (quase) sempre, faz parte da minha personalidade, que ter esperteza em algumas situações, igualmente faz parte de quem sou; mas que viver e ao mesmo tempo ser sábia, é difícil pra caramba!

Eu me entrego ao que estou vivendo e os sentimentos do momento - alegria ou euforia ou raiva ou tristeza ou mágoa ou emoção - são tão intensos que quase não me permitem lembrar que, preciso, devo, tenho total necessidade de ser sábia.

Há uns dias atrás, uma euforia, um embalo - até que muito bom -, me fizeram esquecer de ser sábia e por uma bobeira, fui burra e inconsequente. Mas não tão burra a ponto de não enxergar a besteira que fiz.

Hoje estou consciente de que para ser feliz e estar em paz comigo mesma, o primeiro passo é ter sabedoria no pensar, falar e principalmente no agir. Já estou cansada de saber que os meus impulsos só me atrapalham, mas estava faltando a tão falada sabedoria. Eis que agora, ela se tornou a minha meta. E eu? Eu vou conseguir!

Tudo isto provei-o pela sabedoria; eu disse: Sabedoria adquirirei; mas ela ainda estava longe de mim. - Eclesiastes 7:23 -

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Finalmente entendi...






Finalmente entendi que por mais que eu queira, nada é para sempre;

Que não sei nada sobre o amanhã;

Que a inveja quase sempre se fantasia de sorriso;

Que o que dói, ensina;

Que o tempo nem sempre é agora;

Que pensar no futuro, é questão de sobrevivência;

Que julgamentos acontecem toda hora, principalmente quando estou de costas;

Que amigos são imperfeitos, mas capazes de fazer a diferença quando mais preciso;

Que com o grito, não ganho nada além de dor;

Que o tempo voa e que amar é pra hoje;

Que a minha família sou eu, assim como eu sou a minha família;

Que aconteça o que acontecer, Deus sempre vai apostar em mim;

Que em algumas situações, menos é mais.

Que perder ontem, é ganhar honra em dobro hoje;

Que o livre arbítrio tem um preço e o quanto se paga, só depende de mim;

Entendi que entender é uma escolha.


"A paz não pode ser mantida à força. Somente pode ser atingida pelo entendimento."
- Albert Einstein -


terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Limite


A maioria de nós termina o ano fazendo reflexões, traçando metas e fazendo promessas. Comigo não foi diferente. Mas só depois que 2011 chegou, que eu me dei conta de algo muito importante que preciso aplicar em todas as áreas da minha vida. Algumas menos, outras mais...

Infelizmente - ou felizmente, tenho lembranças más, que de alguma forma provocam reações e sentimentos em mim. Existe uma frase que é muito certa e diz: "A verdade sempre aparece". Passaram-se quase 2 anos e eu descobri um detalhe - muito importante de uma verdade mal contada e o pior: foi mal contada por pessoas que gosto bastante. Ah, mas isso não vai me importar não! Estou começando um novo tempo, uma nova história, tenho novas prioridades e o passado não tem nenhuma utilidade a não ser me fazer crescer e evoluir e como pessoa. Sendo assim, refletindo sobre a atitude das pessoas ao meu redor no passado, eu me dei conta de algo extremamente necessário para 2011, 2012, 2013 e toda a minha vida: LIMITE.

Eu sou alguém que não disfarça o que sente, que chora pra todo mundo ver ou que grita de felicidade também pra todo mundo ver. Sou alguém que dificilmente enxerga maldade nos outros, sou impulsiva, exagerada, faladeira... E hoje, vejo o quanto isso me afasta do limite que preciso ter. Mas que bom que vejo. E a partir de agora é assim: a alegria, os sentimentos, a dor, o ciúme, os sonhos, os medos... tudo isso é um segredo meu e de Deus.

Não estou sendo arrogante, é só uma questão de me amar e ser um pouco mais inteligente.