terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Adeus, ano velho!




Parece blá blá blá, mas a verdade é: 2010 voou!!!

Passou e eu nem vi, só me dei conta agora que está acabando. E que bom que está acabando. Estou ansiosa por um novo tempo, que na verdade, já começou no meu coração.

Em 2010 eu fui a Flávia de sempre. Passei uns 785 trotes, dei umas 121.585 gargalhadas e chorei também, quase que na mesma proporção. Fiz amigos, conheci pessoas, gostei de pessoas, me iludi com pessoas, me decepcionei com pessoas, amei as pessoas de sempre e aprendi a amar novas pessoas que Deus colocou no meu caminho, bloqueei uma média 258 pessoas no msn - hahaha, é brincadeira -, fiz birra, perdi a razão, errei, acertei, vivi.

Gostaria muito de dizer que 2010 foi um ano de metas alcançadas, sonhos realizados... Estaria mentindo se o fizesse. Esse foi o ano em que mais perdi tempo, em todas as áreas da minha vida. Perdi o meu tempo com quem e com o quê não devia, confesso. Mas querem saber? Valeu! Aprendi bastante, cresci, evoluí como filha - do Pai do céu e do Pai aqui da terra - , como irmã, como cunhada, tia, prima, sobrinha, neta, amiga, como ser humano. Acredito que nada é por acaso e digo - apesar de tudo - que sou feliz o suficiente para não murmurar.

O tempo foi perdido, mas o ano de 2010 não! Quando pensei que o ano terminaria vazio e sem gás, algo que marcou a minha história aconteceu. Se eu pudesse resumir 2010 em uma palavra, seria RECONCILIAÇÃO. Meus olhos se enchem de lágrimas nesse momento e o meu coração se alegra quando lembro que nesse ano, eu me reaproximei de Quem mais amo, de Quem é dono de mim, de tudo o que tenho e tudo o que sou.

Termino o ano com o coração feliz e agradecido porque perder tempo é o de menos, enquanto muitos perdem a vida. Estou viva para ter um ano novo, com um coração novo em folha, sonhos mais vivos do que nunca, uma família linda, pessoas que são verdadeiros presentes, muita saúde, muita força, muita fé e uma nova maneira de pensar e agir.

Desejo que em 2011, Deus esteja no controle das nossas vidas, que sejamos sábios, humildes, que façamos a diferença e que o Deus que nos manteve vivos até aqui, seja glorificado através de cada atitude nossa!

Beijos e muita paz! Até o ano que vem!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Então é natal...






Particularmente, nunca gostei do natal. Por algum motivo que desconheço, o natal sempre me trouxe uma pontinha de tristeza desde muito novinha.

Amo Deus acima de qualquer coisa, amo o seu filho Jesus que nasceu, sofreu e morreu por nós, mas eu não o amo o natal! Acho uma data cheia de hipocrisia, onde todos esquecem possíveis mágoas, os famosos "santos que não batem" e se abraçam com sorrisos forçados; É uma data onde o "eu te amo" que quase não se ouviu durante todo o ano, soa aos ouvidos toda hora; Natal também é tempo de comprar compulsivamente e iludir pobres criancinhas dizendo que aquele velho horrendo que chamam de papai Noel existe. Pra quê isso? Qual é o sentido de contar uma mentira ridícula como essa para a criança?

Não estou querendo entrar no tema religioso, tampouco julgar crenças. Gostaria apenas de desabafar que Jesus nasceu e deu a vida por nós e isso não deve ser lembrado somente no dia 25 de dezembro! Quem nos magoou não deveria ser abraçado numa festa social simplesmente para manter uma aparência, ou perdoa ou não perdoa; Que o amor e a compaixão deveriam fazer parte da nossa vida quando um mendigo bate à nossa porta no dia-a-dia e não atendemos, não somente em época de natal; Que uma criança não cresce mais feliz por acreditar que aquele barbudo existe!

A suposta paz, amor, união, perdão, compaixão que duram uma só noite, não alegram ao "aniversariante" que deu a vida por nós. É tempo de refletir... e fingir menos.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Selos

Este é um post especial, pois o blog está recebendo selos muito legais e muito importantes para um blogueiro.

Lembro que há pouco mais de 2 meses decidi fazer o blog para compartilhar minhas insônias, meus impulsos, meus desabafos, minha vida. Ainda não sabia como seria, mas hoje posso dizer que está valendo muito! Então aproveito para agradecer aos leitores que sempre comentam e também aos que acompanham o blog quietinhos, hehe! É um prazer compartilhar com vocês! Um beijo a todos!

Não poderia deixar de agradecer ao Eumar Lima do Blog: http://a-verdadenuaecrua.blogspot.com/ que foi quem me indicou para receber os selos. Obrigada, querido! Muito sucesso para todos nós!

Agora é a minha vez de indicar alguns blogs que leio e que gosto muito. Em minha opinião, merecem receber os selos:







As regras para receber os selos são:


1- Primeiro: precisa ser indicado por alguém que recebeu;

2- Segundo: Quem recebeu precisa indicar de 5 a 15 blogs que não possui tais selos;

3- Terceiro: Publicar os selos em um post e avisar aos indicados;


Seguem os selos que  ganhei e que ficarão ao lado daqui pra frente:













sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Espelho






Já parou pra pensar quantas vezes você se olha no espelho? Eu me olho até em vidro de carro quando passo na rua, se querem saber... hehe! E isso já deixou de ser coisa só de mulher. Os homens hoje em dia, são muito vaidosos e se preocupam bastante com a aparência também. Quem nunca viu um homem olhando os músculos ou alisando o rosto depois de fazer a barba no espelho? A preocupação com a aparência é de ambos os sexos.

Diariamente nos preocupamos com uma série de coisas e infelizmente esquecemos de bens muito preciosos. Não seria hipócrita em dizer que não me preocupo com a minha imagem. Me preocupo sim! Mas hoje eu gostaria falar de algo muito mais importante e de um espelho especial.

Na minha aparência, se pudesse eu mudaria um monte de coisas. Mas não mudaria quem eu sou, de onde vim e o que aprendi olhando para o mais especial dos espelhos, que é a minha família.

Já falei bastante dos meus defeitos aqui, mas hoje eu quero mostrar meu lado bom; Ou melhor: eu quero mostrar o lado mais lindo que eu tenho, e tenho porque aprendi com a minha família. Por causa de Deus e da minha família, eu tenho caráter e respeito por qualquer ser humano. O que sou, o que tenho, tudo eu devo a eles, porque neles eu me espelhei e aprendi o caminho correto. Tenho orgulho disso!

Família é o espelho onde os nossos olhos devem estar, é o bem mais precioso que podemos ter, mas acima de tudo, é um projeto de Deus. Às vezes eu me cobro de dar um pouco mais da minha companhia para a minha avó e penso no tempo que perco com coisas muito menos importantes. Hoje, eu gostaria de simplesmente refletir com vocês sobre isso. Usei a aparência e o espelho para mostrar o quanto nossos olhos estão em "coisas", enquanto poderiam estar em pessoas e no espelho que nos ensinou a ser quem somos.

Desejo que a paz, o amor e que os nossos olhos atentos não estejam em nossa família somente na época do natal e na hora do amigo oculto, mas que assim como olhamos todos os dias para o espelho da parede, possamos olhar também para o espelho que nos amou e nos tornou pessoas especiais.

Feliz família!



segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O Troco



Não, eu não estou falando daquele 1 centavo que esperamos receber de troco quando compramos algo de 9,99... hehe!

Esses dias comentei com uma amiga o quanto eu absorvo o que me dizem ou o que me fazem, seja uma coisa boa ou ruim. Quando é bom, fico feliz da vida, mas quando não é muito agradável, fico com aquilo martelando na cabeça por alguns dias. Quantas vezes a simples maneira de falar, já nos entristece? Ou quantas vezes nos chateamos porque esqueceram de nos de ligar? E pior: Quantas vezes, pessoas usam palavras que doem mais que um soco?

Às vezes dizemos: "Ah, não me importo com a opinião de fulano!"  Nem mentimos quando falamos assim não... Pode mesmo não ter muita importância, mas alguma reação em nós vai gerar, não tem como fugir disso.

Fiz uma pesquisa com alguns amigos, colegas e conhecidos para saber como as pessoas têm agido diante de uma palavra que ofende ou uma atitude agressiva. Não vou expor o nome dessas pessoas, apenas as respostas. A pergunta foi a seguinte:

"Quando alguém te magoa (com palavras, atitudes ou falta de atitudes) como você reage? Devolve com palavras duras e ofensivas ou mesmo magoado (a) responde com gentileza? Se surgir a oportunidade de vingar-se dessa pessoa, você o faz ou deixa pra lá?" 

E as respostas foram:

"Olha, sei que não deveria mas nesta situação eu tenho certeza que eu devolvo com palavras duras (e muito) e ainda crio a oportunidade para a vingança. Mesmo que algum tempo depois.."

"Acho que dá vontade de responder na hora da raiva, quanto a se vingar? Depois que passa a gente acaba esquecendo. Eu sei porque aconteceu uma parada dessa comigo, na hora do sangue quente respondi a queima roupa, mas me vingar, larguei de lado."

"Pra mim tudo é relativo, depende muito do tipo de relacionamento que você tem com essa pessoa... sendo assim, para cada uma reajo de forma diferente... Umas são tão mesquinhas e insignificantes que nem perco meu tempo, outras precisam ouvir certas coisas que possa ferir seu ego pra ver se acorda pra vida e outras são tão especiais que o máximo que consigo é ser sutil. E quanto a vingança, digo novamente... depende de que tipo de relacionamento tu tenha com essa pessoa... mas não posso terminar com a seguinte frase......"vingança é um prato que se come frio e pelas bordas"

"Com certeza respondo com gentileza, porque mesmo sendo afetado, não devo retrucar com as mesmas palavras recebidas, pois estarei causando mais confronto. A questão de vingança, deixaria pra lá, pois quem gosta de barraco é cachorro.. hehe!"

"Não sou vingativo. E quando me magoam ou me ignoram como vem acontecendo, não sou de fazer algo para devolver na mesma moeda"

"Normalmente quando acontece uma situação assim, procuro conversar de imediato e resolver logo."

"Eu com certeza me vingo! Não deixo barato, pois guardo rancor. Pode passar o tempo que for, eu não esqueço."

"Pago com a mesma moerda, pois como dizem: aqui se faz, aqui se paga."

Depois de ler essas respostas, eu pesquisei um pouco sobre o assunto e percebi que a maioria das pessoas tem aquela famosa atitude de "não levar desaforo para casa" e assim, escolhe por aumentar o aborrecimento. Segundo Sandra Maia - colunista do site Yahoo e escritora - o ideal é se afastar das pessoas que costumam ferir com palavras e atitudes. Ela diz o seguinte:

"Saia de perto. Assim, se qualquer uma das pessoas que estiverem o seu lado se caracterizar como aquela que bate, saia de perto! Fuja desse tipo de relação! É destrutivo! Não faz bem a ninguém – ao algoz, que se ressente de sua atitude, e à vítima, que leva sempre o pior.
Não precisamos de fato de viver dessa forma. A vida já é complexa, e o mundo mais ainda. Que possamos então trazer para o nosso entorno pessoas saudáveis, queridas, cheias de amor para dar e também abertas a receber. Pessoas que nos aceitam como somos e que nos estimulam a buscar formas de transformação dentro do nosso ritmo, das nossas possibilidades no momento.

Vamos, por fim, mudar nosso repertório – nossa forma de lidar com o outro e com vida. Podemos, sim, escolher não viver mais a rejeição. Podemos, sim, escolher quem trazemos para perto" (http://colunistas.yahoo.net)

De um modo geral, penso que todos temos sensibilidade e é absolutamente natural nos chatearmos com o que nos fazem. O que não pode acontecer, é deixar que isso se estenda por muito tempo e vire mágoa. O segredo para lidar bem com isso, é saber quem verdadeiramente somos e o nosso valor. Penso que ser igual / agir igual não muda nada, mas que agir em amor, mostrando o quão diferente somos é o ponto, é O TROCO para que quem nos ofendeu, chateou, desprezou, julgou ou simplesmente nos aborreceu, sinta-se no mínimo envergonhado. Para palavras duras, olhos que julgam e cara feia, dê como troco AMOR e SORRISOS.







terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Afinal, qual é a medida?






Andando na rua durante o dia, vejo uma mulher cheia de maquiagem e logo penso: "Meu Deus! Pra quê tudo isso em plena luz do dia?" ou ouço a minha vizinha falando com o gato: "Ô Miuuuun, não foge nãooo, vem cá com a mamãe, veeem, coisa linda!" e começo a pensar "Que mulher doida! Ela acha que o gato entende? Pra quê isso tudo?". Assistindo a tv, vejo um caso de tragédia entre casais, onde o motivo foi ciúme em excesso, logo falo: "Genteeee, isso é não é normal! Por que as pessoas amam demais e se sentem donas dos outros?".  E quem é que nunca viu aquela criança mega tímida e dependente por causa de cuidado excessivo dos pais?

E aí eu fico querendo saber: Afinal, qual é a medida? Essa pergunta deveria ser feita em todos os momentos da vida. Na minha adolescência, sempre bati de frente com o meu pai e se naquela época eu me perguntasse sobre a medida, certamente teria maneirado na rebeldia boba e ele seria meu amigão desde sempre. Outra situação é que de um modo geral, eu brinco demais. Sempre fazendo piada. Deve haver alguém que pense: "Meu Deuuuus! Que garota chata! Nunca entendo as piadas dela!" - poxa, sorry... - Ah, existe ainda a situação mais complicada de saber a medida: relacionamentos! Ui, dá até frio na barriga!

Já passei pela seguinte situação: Eu nunca ligava para um ex-namorado, aí ele me apelidou de "pedrinha de gelo", haha. Eu, uma pessoa muito amorosa, fiquei tocada com aquilo e decidi ligar de vez em quando, até que uma vez meu antigo gerente - Um beijo, Jociney! - veio à minha mesa de forma muito marota e disse: "Saaaaaaaaaai do telefone, mulher!" Pronto, eu havia perdido a medida!

E é assim em tudo, em todas as áreas da nossa vida precisamos saber qual é a dose certa. Quem dera fosse fácil! Coisas engraçadas acontecem por não sabermos lidar com isso, mas existem também situações sérias, como a tragédia de casais que comentei que acontecem porque alguém ou ambos perderam o controle, a medida. Eu encho a boca para falar que tenho senso. Sei lá, acho muito legal falar isso em certos momentos, hehe. Mas aí, fiquei refletindo sobre o assunto e acabei associando a palavra MEDIDA à palavra SENSO. Será que eu estava certa? Hum, vejamos o significado de ambas:
 
MEDIDA (resumidamente): Proporção; Alcance; Cálculo, Regra, norma ; Decisão, determinação; Providência; Prudência, cordura.

SENSO (também resumidamente): Juízo claro. = prudência; equilíbrio nas decisões ou nos julgamentos em cada situação que se apresenta.

Ou seja: Quem tem senso, sabe a medida. Ou seja ²: Eu não tenho senso quase nunca. Sendo assim, pergunto: AFINAL, QUAL É A MEDIDA? Quem souber, me explica!


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Eu só queria dizer que:



Mesmo eu grande, ela cuidaria de mim, eu sei. Se preocuparia se almocei ou não, se a minha bochecha está rosada ou se estou pálida.

Mesmo eu grande, ela seguraria meu braço para atravessar a rua e me levaria até o portão quando eu saísse sozinha.

Mesmo eu grande, ela ligaria preocupada porque passaram-se 5 minutos da hora de chegar em casa. Eu pediria para deixar de bobagem e ela diria nervosa: "vem embora logo!"

Mesmo eu grande, ela me permitiria deitar a cabeça em seu colo para assistir novela.

Mesmo eu grande, ela reclamaria da hora tarde que vou dormir.

Mesmo eu grande, ela acordaria antes de mim para fazer café ou me dizer: "Vai com Deus e que Jesus te proteja e te guarde."

Mesmo eu grande, ela faria bolo no meu aniversário, me daria presente e me abraçaria forte chamando por algum dos muitos apelidos que inventava pra mim.

Mesmo eu grande, ela me defenderia desde o mosquito que pode me picar ao assassino que queira me matar.

Mesmo eu grande, ela me acompanharia em todas as consultas médicas e diria: "eu tenho que explicar tudo direitinho ao doutor."

Mesmo eu grande e quando me casasse, ela não deixaria de se preocupar se não estou esquecendo de beber água.

Mesmo eu grande, ela continuaria contando à todos que fui boa aluna e diria: "Flavinha aprende tudo rapidinho."

Mesmo eu grande, sinto falta de chorar para ela os meus medos mais bobos.

Mesmo eu grande, sinto vontade de simplesmente segurar na mão dela quando estou triste.

Mesmo eu grande, sinto falta das palavras de apoio e força que só ela me dava.

Mesmo eu grande, sinto falta de mexer no cabelo dela.

Mesmo eu grande, sinto falta de tê-la por perto para me dar um remédio quando estou doente.

Mesmo eu grande, ainda lembro das músicas que ela cantava para mim.

Mesmo eu grande, tudo o que queria era ser mimada e protegida por ela.

Mesmo eu grande, choro fácil, falo por impulso, abraço, brinco, passo trotes, dou risada e amo, herdando ELA, minha preciosa, minha melhor amiga, minha MÃE.