segunda-feira, 29 de novembro de 2010

PAZ



PAZ (latim pax, pacis) - 1. Quietação de ânimo; 2. Sossego, tranquilidade; 3. Ausência de guerra, de dissensões; 4. Boa harmonia; 5. Concórdia, reconciliação; 6. Paciência, pachorra.

Temos vivido dias de verdadeira guerra. Vemos sangue, mortes, pessoas pedindo a tão sonhada paz. É tudo muito triste e apesar de sempre existir alguém que arrume uma maneira de zombar, - inclusive da falta de paz - a maioria dos brasileiros se comoveu e não parou de pedir e falar em paz nos últimos dias.

Vejamos algumas imagens e frases que marcaram a última semana:

 









"Um dia ele ia ter que pagar" - Ivanildo Dias de Trindade, que entregou o filho Carlos Augusto à polícia.

"Nunca passei por isso. Fiquei em casa, esperando acabar. Vim na rua agora, mas não gosto de ver tanta polícia." - Daniel, de 9 anos, sobre ocupação no Complexo do Alemão.

"Eu tô deitada no chão desde quinta-feira, última vez que saí de casa." - Roseli, de 21 anos, sobre operação no Complexo do Alemão.

"Eles [criminosos] são muito covardes, estão acuados. Nesse momento é cada um por si. Então podem fazer pessoas reféns, se esconder em casas de moradores." - Coronel Lima Castro, relações públicas da Polícia Militar, sobre a operação no domingo (28).

 
"Estamos seguindo os rastros de sangue." - Rodrigo Oliveira, subchefe operacional da Polícia Civil.


Triste! Muito triste! Mais triste ainda é esperarmos acontecer algo assim para "acordarmos para vida" e enxergarmos que o mundo precisa de paz! A paz deve começar no coração, nas palavras que saem da nossa boca, em casa, no trabalho e em todas as situações que fazem parte da nossa rotina. Se todos nós prestássemos atenção nesse detalhe - que faz toda diferença -, certamente não haveriam tantas mortes e uma realidade tão triste como a que vimos nas fotos acima.

Eu necessito de paz, você necessita também. Mas será que diariamente - sem guerra no Rio - nos preocupamos com a paz alheia e até mesmo com a nossa paz?

Paz não significa somente "ausência de guerras" como já lemos acima. O que vejo são pessoas xingando e arrumando confusão no trânsito; vejo fisionomias sérias, sem um sorriso sequer; vejo gente incapaz de fazer uma gentileza; vejo gente que discute por um lugar na fila da padaria; vejo gente egoísta; vejo gente que só visa dinheiro; vejo pais ausentes; vejo filhos enganando os pais; vejo maridos/namorados espancando suas companheiras, vejo gente querendo "passar a perna", etc. Agora me respondam: isso é viver em paz? Não estou apontando, na verdade até me vejo em certas situações que citei. Infelizmente, muitas vezes a gente nem percebe o que está fazendo.

Um dos mandamentos de Deus é: "Amai-vos uns aos outros". Mas a realidade é: este mandandamento vem sendo substituído pelo "Cada um no seu quadrado." É cada um por si, esquecendo de ser essência e vivendo só de aparência. Isto não é viver em paz!

Queremos paz! Que este seja não só um clamor em tempos de guerra no Rio, mas que seja um desejo do nosso coração todos os dias. Que a paz comece em nós (paz interior) e que seja transmitida aos que estão ao nosso redor. Hoje, o meu clamor é: PAZ PARA O RIO! PAZ EM MIM! PAZ EM NÓS!

 



quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Arriscar - É pra hoje!








Costumo me irritar com conformismo, situações estáticas, gente imutável... Sabe aquelas pessoas que estão satisfeitas com pouco, contentes com um emprego mais ou menos, têm consciência de que estão erradas e mesmo assim permanecem ali, sem fazer nada?

Fico me perguntando como pode isso! Não estou falando de ambição exagerada, de ser um (a) louco (a) impulsivo (a) ou de ser inconsequente. Estou falando de se mexer!

Se eu contar as besteiras que já fiz por não conseguir ficar parada/conformada facilmente, uns morrem de rir, outros choram, rs... Mas não me arrependo! Principalmente porque gerou aprendizado. Fora que ser corajoso (a) o suficiente para assumir riscos e muitas vezes se expor, gera uma confiança em si próprio que ajuda em todas as áreas da sua vida. Falo por experiência própria.

Conformismo e insegurança andam lado a lado, sabia? Então, mesmo que você erre - é um risco que sempre irá correr - siga o coração, não se conforme com o que não te faz feliz - trabalho, faculdade, casa, namoro, casamento, etc - e ARRISQUE! Errar é um risco que corremos toda hora. Se for para errar, que você erre por fazer demais!

Escolha o dia de hoje para se levantar de onde está. Seja no trabalho onde não te reconhecem; na faculdade onde está para agradar a terceiros; no casamento só para manter as aparências; no namoro infeliz só por carência; tendo pouco, quando sua capacidade lhe permite ter muito mais; errando o mesmo erro de anos, entre tantas outras coisas.

Hoje é o seu dia de arriscar e virar um inconformado (a) sedento (a) pelo melhor!

Eu encerraria o post da sequinte forma: "Seja feliz e por favor, ARRISQUE!", mas estaria dando o conselho errado. O correto é: ARRISQUE e seja feliz, bem mais feliz!






"É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver."
Martin Luther King





segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Sobre o Tempo




Sabe aquelas pessoas que a gente considera o famoso doce de leite? hahaha! É aquele alguém bonzinho, porém enjoadinho. Conheço um monte! Não vou falar de nenhuma dessas pessoas não, mas vou contar algo que descobri: o tempo é um docinho de leite tal qual essas pessoas que a gente conhece por aí.

Eu acho bom porque só ele é capaz de aliviar dores, mágoas, tristezas. Mas também acho enjoadinho, simplesmente porque detesto esperar. Por exemplo: Eu amo o tempo quando ele tá perto de acabar e aquela coisa tão esperada está para acontecer, mas passo a odiá-lo quando a coisa (essa coisa quase sempre é uma pessoa) vai embora e eu vou ter que esperar tudo de novo; No sentido contrário, eu odeio o tempo quando algo que planejei deu errado e as pessoas vêm me dizer: "Caaaalma, Flávia! Dê tempo ao tempo!", mas viro fã do tempo, quando ele simplesmente passou e eu entendi que o melhor foi ter acontecido daquela forma. 

Tratando-se do perdão, o que posso dizer é que o tempo é irmão dele. Andam juntos. Difícil encontrar alguém que consiga perdoar horas depois de ser magoado. Não dá! E isso não significa que a pessoa seja ruim. Ora, uma palavra dita não volta atrás e tem o poder de machucar e muito! Fica guardado, fere a alma... Como perdoar? Só com o tempo.

O tempo não faz milagres, quem faz milagre é Deus, mas o próprio Deus pode usá-lo para tratar principalmente da nossa alma e do nosso coração. Além de aprendizado e experiência, o tempo gera perdão e cura.

Tenho vivido um tempo de mudanças muito importantes para mim. Venho tirando alguns entulhos que guardei no coração com o tempo, mas o próprio tempo me ajudou a tirar.

Pensei até em fazer as pazes com o tempo enquanto escrevia, mas me lembrei que o danado "não passa" e me causa uma saudade enorme! Tenho com ele uma relação de amor e ódio, rs. E assim os dias vão...

"Talvez o tempo te ponha na sua escola pois não terás melhor professor que ele." ( Abu Shakur )





sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Eu tava aqui pensando...


A vida segue surpreendendo. Eis que quando eu menos esperava, da forma que menos esperava: aconteceu.

E eu que pensava que havia aprendido a controlar emoções, vontades, sentimentos tive que dizer para mim mesma: perdi! Mas perdi feliz, rs.

Dos ensinamentos que a vida me deu, não esqueço um sequer, mas da minha essência também não posso esquecer e a minha essência é só amor. Eu vivo dizendo por aí que penso com o coração, e é a mais pura verdade. Sou muito grande para brincar de esconder o que estou sentindo e filha de Alguém muito maior para ter medo. Está nas mãos de Deus! :) 


"E no meio de tanta gente eu encontrei você;
Entre tanta gente chata, sem nenhuma graça, você veio..."







domingo, 14 de novembro de 2010

Será?







Esses dias, vi uma comunidade no orkut e naturalmente dei boas risadas aqui, sinalizando minha total idenficação, haha! Não lembro exatamente o que dizia, mas era uma comunidade para pessoas que sentiam-se testadas intelectualmente em diversas ocasiões. Se eu disser que tenho essas loucuras você vai rir, né? Pois então ria gostoso! Eu tenho isso! Hehe! Outra situação, é que eu tento ser discreta, mas com minha altura (1,77), a missão fica complicada, então quando chego nos lugares, tenho a leve impressão de que estão todos me olhando. Preciso também confessar que quando some alguma peça de roupa, imediatamente penso da minha cunhada, hahaha!

Estamos falando de DESCONFIANÇA. Traço fortíssimo da minha mãe, que eu herdei tão forte quanto. Estou descontraindo sobre o tema, porque muitas vezes torna-se engraçado, mas tudo o que eu disse é fato. Acontece mesmo! Imagino que todo mundo tenha situações engraçadas sobre isso. Porém, desconfiar não é nada agradável, certo? Mulher então... É uma mistura de desconfiança com o famoso sexto sentido... No fim é quase uma bola cristal, haha. COM-PLI-CA-DO. Oh, e como é!

Deixando um pouco o lado engraçado disso tudo, vou contar o porquê deste tema: Nos últimos tempos, escolhi algo para mim. Não vou entrar em detalhes, mas enfim: escolhi. Estou (ou estava?) feliz com a minha escolha. Até que, a escolha deu uma vazada e vieram alguns/algumas engraçadinhos (as) dizendo coisas como: "você é doida!" ; "isso não dará certo! " ; "você vai quebrar a cara!" e outras palavrinhas não muito agradáveis.

Eu teimosa como sou, não dei muita importância, não desanimei, porém não me esqueci. E aí percebi que o número de pessoas que diziam as mesmas palavras só crescia. Bom, meu "desconfiômetro" apitou, não teve jeito. Mas o pior é: apitou duas vezes, haha! Apitou primeiro para minha escolha. Depois apitou para as pessoas muy amigas que apontaram a minha escolha como loucura. Minha cabeça ferveu.

Eis o título deste post: Será? Até que ponto as pessoas estão sendo sinceras? É sinceridade ou interesse em alguma coisa? Praticamente TODOS que me chamaram de louca pela minha escolha, "ganhariam" algo se eu desistisse da mesma. Daí a razão de questionar se existe sinceridade.

É certo que todos passam por esse tipo de situação todos dias. E só quem passa, sabe o quanto é complicado e o quanto corremos o risco de errar diante disso.

Já contei aqui no blog sobre a minha impaciência, lembram? Venho tentando melhorar em relação à isso e Deus vem me dando uma forcinha (Como sempre! Te amo, Deus!). Aprendi que as minhas expectativas e os meus sonhos devem estar em Deus. Mas diante dessa situação, aprendi que a minha confiança também deve estar em Deus! Óbvio que o próprio Deus coloca pessoas maravilhosas e dignas da nossa confiança em nossas vidas, mas tratando-se de uma "escolha", como é o meu caso, certamente é mais sábio confiar em quem tudo sabe, concorda?

"Será?" Imagino que você já tenha feito essa pergunta, ou de repente esteja fazendo atualmente, assim como eu. Existe algo que tem me ajudado a "descansar" e vou compartilhar com você:
 
"Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus.
Uns encurvam-se e caem, mas nós nos levantamos e estamos de pé. (Salmos - 20: 7 à 9)"
 
Entendi que devo confiar em Deus e no cuidado Dele. Não sou burra, quero ser feliz e óbvio, escolhi Deus para cuidar do meu futuro e de todas as minhas escolhas. Sou humana e desconfio, muitas vezes fico ansiosa, mas como diz o versículo, eu levanto e estou de pé!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Dedicação









Todos os dias nos deparamos com diferentes situações, acordamos e já sabemos o que teremos para fazer naquele dia, ou damos aquela olhadinha na agenda para nos lembrarmos dos compromissos. No decorrer do dia, nem tudo acontece como imaginamos. Ninguém está livre das surpresas da vida. Tantas coisas inesperadas nos acontecem, não é mesmo? Mas como agir? Como agir diante dos nossos afazeres diários, nos nossos relacionamentos (familiar, profissional, de amizade, amoroso) e das surpresas que a vida nos dá de presente (de grego muitas vezes, rs)?

A resposta é DEDICAÇÃO. Toda e qualquer situação encarada com dedicação tende a dar certo ou na pior das hipóteses, ter um final menos doloroso.
Trabalho exige dedicação, manter a saúde exige dedicação, ter um corpo bonito exige dedicação, ter uma amizade verdadeira exige dedicação, ter um namoro feliz exige dedicação, etc... TUDO o que fazemos exige dedicação.

Eu confesso que muitas vezes me preocupo demais com o que as pessoas vão pensar/falar. Por isso, procuro honrar o meu nome em tudo o que faço. Como? Com dedicação. Tudo o que faço, seja em qualquer área da minha vida, leva o meu nome e minha imagem. Então, eu quero mais é levá-los da melhor forma possível. Pra isso eu tenho que me dedicar. Mas não é simples! Nada simples! Nem sempre acordamos dispostos a cumprir todos os compromissos; Nem sempre as coisas acontecem como esperamos, como já citei no início; Nem sempre aquele nosso amigo que anda fazendo as coisas de forma errada, merece a nossa total dedicação; Nem sempre nosso (a) namorado (a) que não tem dado muita atenção nos últimos dias, merece nossa dedicação. E por aí vai.

Dedicar-se não é fácil, apesar de parecer bem simples na teoria. Confesso a vocês que tenho uma mania muito feia de adiar certas coisas até o máximo que consigo. Ora, isso não é dedicação! Lembra que falei agora pouco que me preocupo em fazer tudo com dedicação para levar o meu nome e a minha imagem da melhor maneira possível? Será que estou entrando em contradição?? Não estou! Estou é te mostrando que por mais preocupada em acertar e fazer bem feito que eu seja, dedicar-se é difícil! Mas muito mais que difícil, dedicar-se é necessário, e acreditem: é compensador.

Nesse último fim de semana, eu abri mão de coisas legais, de estar com os meus amigos, de dormir na minha caminha e do meu conforto, para estar e acertar as contas com alguém que amo demais! Fiz um sacrifício grande e chegando lá na sexta-feira, eu tive até vontade de desistir, mas mantive a dedicação e no final, deu tudo muito certo! Foi mais do que compensador, foi perfeito!

Eu li que a dedicação antes de ser um caminho, é uma escolha e uma crença.
Portanto, sabendo que não sou ninguém, mas aproveitando a minha experiência, deixo o meu conselho: Dedique-se em tudo o que fizer! O retorno que a dedicação lhe proporciona, é sem dúvidas a recompensa de todo e qualquer sacrifício!

Encerro com o maior exemplo de dedicação que conheço e que me fez meditar bastante:

Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.”  (Romanos - 5:8)






terça-feira, 2 de novembro de 2010

Metanóia


Metanóia é uma palavra de origem grega (μετάνοια , metanoia) e significa arrependimento, conversão (tanto espiritual, bem como intelectual), mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitudes, temperamentos; caráter trabalhado e evoluído.
Mudanças ocorrem todos dias. Mudamos de casa, de emprego, de visual, de opinião, etc. Mas e a mudança da mente? Será que é possível?

Mudar de opinião, acho que não se encaixa em mudança de mente. Digo por mim, que sou teimosa ao extremo, e vez ou outra mudo de opinião devido a certos fatos e claro, porque não sou dona da verdade absoluta, mas minha mente permanece igual e o meu comportamento também.

Andei pensando na possibilidade de existir ou não  a mudança da mente, também conhecida metanóia. Já parou para pensar o que uma mudança de mente poderia gerar numa pessoa? Mudança de comportamentos, de costumes, de ciclo social, dentre tantas outras. Foi pensando nisso, que me fiz peguntas como: A metanóia pode ser tanto positiva, quanto negativa? Alguém muito perturbado pode se tranquilizar e ficar numa boa, como alguém muito do bem pode tornar-se um assassino? Isso é possível? Existe mesmo essa tal metanóia? Ou será que quando há alguma mudança de comportamento nas pessoas, não está acontecendo nada além do despertar de uma essência que sempre existiu, porém estava escondida?

Penso que se fizéssemos uma pesquisa perguntando se existe interesse em passar por uma metanóia, a maioria responderia que sim. Afinal, existe ser humano 100% satisfeito consigo e com as consequências sofridas por seus atos?

"Aqui se faz, aqui se paga" - nisso sim, eu sempre acreditei. "Colhemos o que plantamos" - tem o mesmo sentido, sempre falei e acreditei nessa frase também. Então acredito que todo mundo tenha algo a desejar na forma de pensar e naturalmente de agir... Sendo assim, a maioria marcaria no quadradinho lá: SIM, QUERO PASSAR PELA METANÓIA.

E eu, quero! Quero muito! Gente do céu, como eu quero! Quero parar de achar que sou dona da razão quando por algum motivo discuto com alguém e vez ou outra (para não dizer quase sempre) exagero nas palavras; quero também parar de me preocupar com detalhes e viver mais; quero ter mais paciência; quero parar de deixar tantas coisas pra depois; quero deixar de acreditar que todo mundo é bonzinho; quero deixar de me stressar com o que não me acrescenta, em resumo: eu quero quase que nascer de novo!

Bom, sei que estou prestes a passar pelo seguinte teste: metanóia - possível ou impossível? Juro que é sério! O teste será nesse final de semana. Meu grande e machucado coração está aberto. A resposta do teste? Os sortudos (ou não) que convivem comigo saberão e quem não convive também saberá de alguma forma, acreditem.

Para quem pensou que sou uma droga de pessoa, devido ao grande número de coisas citadas que quero mudar, sinto-me na obrigação de dizer que nessa possível metanóia, eu não quero mexer nos seguintes pontos: meu humor aguçado e envolvente, minha satisfação e charme ao fazer as mais diversas danças por aí, meu dom de imitar vozes quando passo trotes, minha capacidade indiscutível de cantar a música "por enquanto" da Cássia Eller, meu primor ao cozinhar purê de batatas com orégano, etc, etc, etc... São muitas qualidades, queridos. Prefiro manter a humildade e parar por aqui. Hahahahaha!

E dá-lhe metanóia!